Discente: Pâmela Fagundes Travassos

Título da dissertação: Variação e mudança construcional: um olhar funcional-cognitivo sobre usos de construções com verbo-suporte DAR

Orientador(a): Marcia dos Santos Machado Vieira

Ano da defesa: 2019

Páginas: 260

Resumo:

Focalizamos o funcionamento de construções com verbo-suporte DAR, enquanto operador de elementos não-verbais do tipo X-[a,i]da, X-[a]dela, X-[a,i]dinha ou X-(z)inho(a) na descrição da gramática construcional do Português do Brasil. Como exemplos, podemos citar: dar uma caminhada, dar uma escapadela, dar uma olhadinha e dar um empurrãozinho. A pesquisa tem por base orientações da Linguística Funcional-Cognitiva, da abordagem da Gramática de Construções e da Sociolinguística sobre pareamento forma-função (GOLDBERG, 1995, 2006), mudança (TRAUGOTT & TROUSDALE, 2013) e variação (HILPERT, 2014 e 2017; MACHADO VIEIRA, 2016). Objetivamos (i) descrever as características formais e funcionais dessas perífrases verbo-nominais, levando em consideração tanto o cotexto linguístico quanto o contexto semântico, discursivo, pragmático, cognitivo e social em que essas construções estejam inseridas; (ii) analisar os parâmetros produtividade, composicionalidade, esquematicidade e contextualidade envolvidos nessas construções; (iii) investigar se há indícios de variação por similaridade em situação de convivência e/ou competição (MACHADO VIEIRA, 2016). Para tanto, recorremos a metodologia quantitativa e qualitativa para a análise dos dados coletados em textos jornalísticos brasileiros produzidos desde o início do século XX até a atualidade. Partimos da hipótese de que tais construções com verbo-suporte, ao se atualizarem no discurso, podem pôr em jogo o valor de curta duração temporal, mas podem indicar uma estratégia de modalização, de forma a preservar a face do locutor, bem como dos interlocutores envolvidos (BROWN & LEVINSON, 1987 e GOFFMAN, 1967). Acreditamos que alguns constructos possam revelar indícios de mudança construcional, em que o aspecto não-durativo dá lugar à marcação de uma atitude de polidez, enquanto outros apresentam alguns indícios de variação construcional. A originalidade desta investigação está no mapeamento dos padrões construcionais que geram variação e na argumentação, baseada em usos, em prol de um lugar central para a variação por similaridade na Gramática de Construções, assim como no novo enfoque (socioconstrucionista). Visa-se colaborar para uma representação da rede de construções com verbo-suporte do Português. Resultados revelaram que há mudança construcional em jogo, assim como variação por similaridade.

Palavras-chave: Construções com verbo-suporte; Linguística Funcional-Cognitiva; Socioconstrucionismo, Gramática de construções.

Abstract

We focus on the operation of constructions with support verb DAR (GIVE) as operator of nonverbal elements of the type X-[a,i]da, X-[a]dela, X-[a,i]dinha or X-(z)inho(a) in the description of the constructional grammar of Brazilian Portuguese. As examples, we can mention: dar uma caminhada (to take a walk), dar uma escapadela (to take a getaway), dar uma olhadinha (to take a little look) and dar um empurrãozinho (to give a little shove). The research is based on Cognitive-Functional Linguistics guidelines, the Constructional Grammar approach and on Sociolinguistics on form-function pairing (GOLDBERG, 1995, 2006), change (TRAUGOTT & TROUSDALE, 2013) and variation (HILPERT, 2014 and 2017; MACHADO VIEIRA, 2016). The aim is (i) to describe the formal and functional characteristics of these verb-nominal periphrases, taking into account both the linguistic cotext and the semantic, discursive, pragmatic, cognitive and social context in which these constructions are inserted; (ii) to analyze the productivity, compositionality, schematicity and contextuality parameters involved in these constructions; (iii) to investigate if there is evidence of similarity variation in a situation of coexistence and/or competition (MACHADO VIEIRA, 2016). For that, the quantitative and qualitative methodology is used for the analysis of the data collected in Brazilian journalistic texts produced from the beginning of the XX century until the present time. It is hypothesized that such constructions with support verb, when updated in discourse, can put the value of temporal short duration into play, but may indicate a modalization strategy, in order to preserve the face of the speaker, as well as of the interlocutors involved (BROWN & LEVINSON, 1987 and GOFFMAN, 1967). It is believed that some constructs may reveal signs of constructional change, in which the non-durative aspect gives way to an attitude of politeness, while others show some evidence of constructional variation. The originality of this research lies in the mapping of the constructional patterns that generate variation and in the argumentation, based on uses, in favor of a central place for the variation by similarity in the Constructional Grammar, as well as in the new (socioconstructionist) approach. It is intended to collaborate for a representation of the construction network with support verb of Portuguese. Results revealed that there is constructional change in play, as well as variation by similarity.

Keywords: Constructions with support verb; Functional-Cognitive Linguistics; Socioconstructionism; Construction Grammar.

Coordenação

Coordenador: Prof. Dr. Adauri Bastos

Vice-coordenadora: Profa. Dra. Maria Eugenia Lammoglia 

Secretário: Renato Martins e Silva
posvernaculas@letras.ufrj.br

Atendimento

Além de atender por e-mail, a Secretaria do PPGLEV oferece atendimento telefônico e presencial de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h, na sala F-319.

Endereço

Programa de Pós-Graduação em Letras  (Letras Vernáculas)
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F-319
Cidade Universitária — CEP 21941-917
Rio de Janeiro — RJ