Discente: Bruna Brasil Albuquerque de Carvalho

Título da dissertação: “O que você acha do uso de tu?”: a percepção da variação dos pronomes de 2SG no dialeto carioca

Orientador(a): Célia Regina dos Santos Lopes

Ano da defesa: 2019

Páginas: 111

Resumo:

Neste trabalho, são analisadas as formas pronominais de segunda pessoa do singular (2SG) em posição de sujeito. Pesquisas anteriores, com base em análise de corpora, indicam que você, a partir do século XX, foi ampliando seu escopo de uso no português brasileiro (PB), sendo atualmente a forma preferencial e não-marcada de referência à 2SG no Rio de Janeiro, ao lado do pronome tu, que se manteve, restrito a situações de maior intimidade e informalidade. Embora tu tenha perdido espaço para você, estudos sincrônicos apontam para um “retorno” dessa forma ao dialeto carioca nos últimos anos. A partir do quadro atual em que se encontra a variação pronominal de 2SG, essa pesquisa tem como objetivo principal observar como os falantes do PB, em especial os falantes cariocas, percebem as formas tu e você e se a percepção sobre a forma tu está atrelada à falta de concordância verbal canônica, que é o mais usual entre os falantes do Rio de Janeiro. Além disso, pretendo observar quais significados sociais são indexicalizados pelas formas de 2SG. Para tanto, foram construídos dois experimentos, um julgamento de adequação sociolinguística e um questionário de avaliação subjetiva, na tentativa de evidenciar diferentes aspectos da percepção sobre a variação de 2SG. Como hipótese central, defendo que o pronome você é percebido pelos falantes cariocas como adequado a diferentes contextos sociointeracionais, enquanto a percepção da forma tu se diferencia de acordo com o tipo de relação estabelecida entre os falantes, sendo considerado como mais adequado nas relações simétricas e menos adequado nas assimétricas. Considero, ainda, que o pronome tu teria alguns significados sociais como ‘informalidade’, ‘intimidade’, ‘carioquice’ e ‘juventude’ enquanto a forma você é avaliada de forma mais neutra no dialeto carioca. As explicações são ancoradas nos postulados teóricos da Sociolinguística Laboviana (WEINREICH; LABOV; HERZOG, 1968; LABOV, 1972; 1994; 2001; 2008) e na Pragmática Sociocultural (BRAVO; BRIZ, 2004). Os resultados obtidos confirmaram a primeira hipótese mencionada em relação à percepção. Quanto à avaliação, os resultados indicaram que o pronome tu indexicaliza informalidade e intimidade, enquanto os outros índices foram associados ao uso variável de você~tu, mas não ao uso exclusivo do pronome tu.

Abstract

In this work, second person singular (2SG) pronominal forms at subject position are analysed. Corpora-based previous researches indicate that the form você 'you' from the 20th century, widened its use scope in Brazilian Portuguese (BP). It is currently the preferred and non marked form to 2SG reference at Rio de Janeiro, aside with the tu 'you' pronoun, wich is maintained in higher intimacy and informality situations. Although tu has lost its space to você, synchronic studies point to a "tu return" in carioca dialect in the last years. From the current scenario of 2SG pronominal variation, this research aims to observe how BP speakers, especially carioca speakers, perceive the tu and você forms and to observe if the perception over tuform is intertwined to the lack of canonical verbal agreement, which is the most usual amidst Rio de Janeiro speakers. Besides that, I aim to note which social meanings are indexicalized by the 2SG forms. For this purpose, two experiments were built, an acceptability judgement and a subjective evaluation questionnaire. These were made on the try to demonstrate different aspects on the perception over 2SG variation. As my central hypothesis, I sustain that the você pronoun is perceived by carioca speakers as adequate to different sociointeractional contexts, while the perception on tu form is different according to the kind of relation established by the speakers, being considered more adequate in symmetrical relations and less adequate in asymmetrical ones. I consider, also, that the tu pronoun has some social meaning such as informality, intimacy, carioquice 'carioca way of life' and youth, while você is evaluated as the more neuter form in the carioca dialect. The explanations are based on the theoretical framework of Labovian Sociolinguistics (WEINREICH; LABOV; HERZOG, 1968; LABOV, 1972; 1994; 2001; 2008) and of Sociocultural Pragmatics (BRAVO; BRIZ, 2004). The obtained results confirmed the first mentioned hypothesis, related to perception. On the evaluation, the results indicate that the tu pronoun indexes informality and intimacy, while the other indexes were associated to the variable use of você~tu, but not to the exclusive use of tu.

Coordenação

Coordenadora: Profa. Dra. Maria Eugenia Lammoglia

Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Eliete Figueira Batista da Silveira 

Secretário: Renato Martins e Silva
posvernaculas@letras.ufrj.br

Atendimento

Além de atender por e-mail, a Secretaria do PPGLEV oferece atendimento telefônico e presencial de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h, na sala F-319.

Endereço

Programa de Pós-Graduação em Letras  (Letras Vernáculas)
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F-319
Cidade Universitária — CEP 21941-917
Rio de Janeiro — RJ