Discente: Wallace Bezerra de Carvalho

Título da dissertação: Sobre pipocos e dicionárias: Uma abordagem construcionista e relativista da flexão de gênero

Orientador(a): Carlos Alexandre Victorio Gonçalves Co-orientador(a): Diogo Oliveira Ramires Pinheiro

Ano da defesa: 2019

Páginas: 91

Resumo:

Neste trabalho, viso analisar as marcas de gênero gramatical no português brasileiro atual. Dessa forma, tenho como objetivos discutir a forma e o significado das estruturas classificadas na literatura como vogais temáticas e/ou desinências de gênero. Além disso, nesta pesquisa, busco investigar os impactos que essas formas (e, portanto, suas funções) têm sobre o pensamento dos falantes de português. Com isso, tenciono também contribuir com os debates sobre a relação língua-pensamento e o Relativismo Linguístico. Para tanto, tenho como bases os seguintes quadros Linguística Cognitiva (Croft & Cruse, 2004; Geeraerts & Cuyckens, 2007, Lakoff, 1987; Lakoff & Johnson, 1980); Gramática de Construções Baseada no Uso (Goldberg, 2013; Pinheiro, 2016); e aquilo chamado ora de Hipótese Sapir-Whorf, ora de Relativismo Linguístico (Everett, 2013). Com isso, construo três hipóteses: (i) as formas [N-a] („garota‟) e [N-o] („garoto‟) são partes de construções que têm como função {GÊNERO GRAMATICAL}; (ii) o significado dos gêneros gramaticais do português estão associados à binariedade de gêneros sociais e aos sexos biológicos; (iii) por conta disso, falantes são influenciados pela língua que utilizam a associar características prototípicas de diferentes gêneros sociais a referentes de acordo com o gênero dos substantivos a esses relacionados. Para verificar a validade das hipóteses levantadas, lancei mão de um experimento em que os participantes tinham como tarefa atribuir antropônimos a substantivos de referentes animados e inanimados. Os resultados de tal experimento, ao final, sustentaram os apontamentos feitos durante o trabalho.

Palavras-chave: Linguística Cognitiva; Gramática de Construções; Relativismo Linguístico; Flexão Nominal; Gênero Gramatical.

Abstract

In this work, I aim to analyse the current Brazilian Portuguese grammatical gender markings. This way, I try to discuss form and meaning of structures known in the area as thematic vowels and/or gender desinences. Besides that, I look for the investigation on how these formas (and, therefor, their functions) impact the way Portuguese speakers think. Thus, I try also to contribute with the debate on the relation language-thought and the Linguistic Relativism. In order to do so, I am based on the frameworks of Cognitive Linguistics (Geeraerts & Cuyckens (2007), Croft & Cruse (2004)), as well as on the frameworks of Usage-Based Construction Grammar (Goldberg, 2013, Pinheiro, 2016), for grammar analysis and description. I based as well on research done on the field sometimes called Sapir-Whorf Hypothesis, sometimes called Linguistic Relativism (Everett, 2013). With this, I can buil three different hypotheses: (i) the forms [N-a] (garota „girl‟) and [N-o] (garoto „boy‟) are part of of a construction which its meaning is {GRAMMATICAL GENDER}; (ii) the meaning of the grammatical genders in Portuguese are associated to the social genders and biological sexes binarity; (iii) because of that, speakers are influenced by the language to relate social genders prototypical characteristics to the referents according to the grammatical gender associated to its related noun. In terms of hypotheses verification, I used an experiment in which participants had to attribute anthroponyms to nouns with animate and inanimate referents. The results of this experiment sustained the remarks done during this research.

Keywords: Cognitive Linguistics; Construction Grammar; Linguistic Relativism; Noun Inflection; Grammatical Gender.

Coordenação

Coordenadora: Profa. Dra. Maria Eugenia Lammoglia

Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Eliete Figueira Batista da Silveira 

Secretário: Renato Martins e Silva
posvernaculas@letras.ufrj.br

Atendimento

Além de atender por e-mail, a Secretaria do PPGLEV oferece atendimento telefônico e presencial de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h, na sala F-319.

Endereço

Programa de Pós-Graduação em Letras  (Letras Vernáculas)
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F-319
Cidade Universitária — CEP 21941-917
Rio de Janeiro — RJ