Discente: Leandro Candido Rocha

Título da dissertação: Espero que esta te vá encontrar em perfeita saúde: a colocação pronominal em cartas pessoais dos séculos XX e XXI

Orientador(a): Silvia Regina de Oliveira Cavalcante

Ano da defesa: 2018

Páginas: 147

Resumo:

A proposta deste trabalho é analisar o padrão de colocação pronominal em cartas pessoais escritas nos séculos XX e XXI, tendo como embasamento teórico a Teoria Gerativa (Lightfoot, 1999), principalmente no modelo de competição de gramáticas (Kroch, 1989, 1994) e o desenvolvimento metodológico da Teoria da Variação e Mudança (Weinreich, Labov e Herzog, 1968). Os trabalhos sobre colocação pronominal na história do português brasileiro revelam um padrão de variação muito diferente do padrão proclítico característico da gramática do PB, como reporta Pagotto (1998, 2013). Desse modo, ao comparar cartas pessoais escritas a partir do início do século XX até o início do século XXI, esperamos encontrar nas cartas mais recentes um padrão mais próximo da gramática internalizada, ou seja, a preferência pela próclise. O estudo tem como objetivos: a) determinar os fatores linguísticos e sociais que condicionam a próclise ou a ênclise em falantes não ilustres; b) analisar as diferenças na colocação pronominal entre os informantes de cada recorte sincrônico; c) confrontar os dados dos informantes do século XX e os do século XXI; d) comparar todos os resultados obtidos aos resultados de demais trabalhos já realizados sobre o tema. Os resultados confirmaram a coexistência de duas gramáticas atuando na escrita dos falantes brasileiros. A gramática do PE aparece nos percentuais mais altos para ênclise em contextos que antes eram de variação, como o contexto XV. E a gramática do PB não deixa dúvida de sua presença quando o pronome surge proclítico ao verbo em início absoluto de sentença, nas formas simples, ou quando surge proclítico ao verbo temático nas formas complexas. Portanto, as hipóteses aqui levantadas são as de que as cartas do século XXI apresentam um índice de próclise mais alto do que as do meado do século XX, que por sua vez, apresentam um nível mais alto de próclise do que as missivas do início do século XX. Além disso, com relação aos missivistas das cartas do século XX, os índices mais altos de próclise estão condicionados a fatores sociais, como o gênero e escolaridade.

Palavras-chave: Colocação pronominal; Competição de gramáticas; Cartas pessoais.

Abstract:

This thesis aims at analyzing the pattern of clitic placement found in personal letters written between the 20th and 21st centuries, based on the theoretical framework of Generative Grammar (Lightfoot, 1999), specially the model of grammar competition (Kroch, 1989, 1994) allied to the variational methodology (Weinreich, Labov, Herzog, 1969). Clitic placement in the history of Brazilian Portuguese shows a variational pattern very different from the proclitic pattern characteristic of Brazilian Portuguese Grammar (Pagotto, 1998, 2013). Thus, when we compare personal letters written in the begging of the 20th and 21st centuries, we expect to find clues for the internalized grammar, i. e., the preference for proclisis. In order to show the clitic placement patterns in Brazilian Portuguese, this research aims at: (a) determining the social and linguistic constraints to proclisis; (b) analyzing the differences in clitic placement between the authors along the time; (c) comparing the behavior of the authors between 20th and 21st centuries; (d) comparing these results with previous work on the subject. By hypotheses, we expect to find higher rates of proclisis in the 21st letters, compared to the 20th century letters. Our results confirm the coexistence of two different grammars in the written texts of Brazilian authors. The European Portuguese grammar appears in the higher rates of enclisis in variation contexts, such as X-verb. The Brazilian grammar emerges in proclisis in V1 sentences. Regarding the 20th century letters, the higher rates of proclisis are conditioned to social factors, such as gender and education.

Coordenação

Coordenador: Prof. Dr. Adauri Bastos

Vice-coordenadora: Prof. Dra. Maria Eugenia Lammoglia 

Secretária: Maria Goretti Mello
posvernaculas@letras.ufrj.br

Atendimento

Além de atender por e-mail, a Secretaria do PPGLEV oferece atendimento telefônico e presencial de segunda a quinta-feira, das 12h às 16h, na sala F-319.

Endereço

Programa de Pós-Graduação em Letras  (Letras Vernáculas)
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F-319
Cidade Universitária — CEP 21941-917
Rio de Janeiro — RJ