Discente: Raphaela Ribeiro Passos

Título da dissertação: O ditongo /ei/ na variedade urbana do português de São Tomé

Orientador(a):Silvia Figueiredo Brandão

Ano da defesa: 2018

Páginas: 90

Resumo:

Este estudo, realizado segundo os princípios teórico-metodológicos da Sociolinguística Variacionista (LABOV, 1972, 1994, 2001) e vinculado à linha de pesquisa Língua e Sociedade: Variação e Mudança e ao projeto O vocalismo átono no Português do Brasil e no Português de São Tomé, tem por objetivo analisar o comportamento do ditongo /ei/ na variedade urbana do Português de São Tomé (PST). Busca-se verificar se, a exemplo do que ocorre com relação a variáveis morfossintáticas, há, também no nível fonético-fonológico, convergências entre essa variedade e o Português do Brasil, em que a monotongação é condicionada por fatores de natureza estrutural, entre os quais sobressai o contexto subsequente. Para a análise, realizada com apoio no Programa GOLDVARB-X, constituiu-se uma amostra de 736 dados selecionados de 17 entrevistas do tipo DID (Diálogo entre Informante e Documentador) pertencentes ao Corpus VAPOR (Variedades do Português) do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa. Os informantes, falantes de Português como L1, estão distribuídos por sexo, três faixas etárias e três níveis de escolaridade e, ainda, segundo a variável frequência de uso do crioulo Forro, a segunda língua mais falada na área, que se caracteriza por acentuado multilinguismo. Focalizou-se, separadamente, o ditongo /ei/ em contexto medial de vocábulo (417 dados), como em azeite,deitar, feitor, e, em contexto final (319 dados), em formas verbais como comecei, fiquei, estudei, levando em conta as citadas variáveis extralinguísticas e, ainda, 5 variáveis estruturais, definidas com base em estudos realizados no âmbito do PB. Os resultados demonstram que a monotongação, que incide em 70,1% dos dados gerais (516/736), tem diferente motivação a depender da posição do ditongo no vocábulo. Em contexto medial, ela é condicionada pelas variáveis escolaridade (indivíduos de menor grau de instrução) e contexto subsequente, em que sobressaem os segmentos [ʃ ʒ ɾ]), a exemplo do que ocorre no PB. Em contexto final, mostrou-se saliente a variável frequência de uso do crioulo Forro, o que sugere que indivíduos que se utilizam dessa língua com significativa regularidade são os principais implementadores do processo que pode estar sendo motivado por especificidades do seu quadro fonológico.

Palavras-chave: ditongo /ei/; monotongação; Português de São Tomé; Socioliguísticavariacionista.

Abstract:

This study, framed by the theoretical and methodological principles of Variationist Sociolinguistics (LABOV, 1972, 1994, 2001) and connected with the line of research Língua e Sociedade: Variação e Mudança (Language and Society: Variation and Change) and with the project O vocalismo átono no Português do Brasil e no Português de São Tomé (Unstressed vocalism in Brazilian Portuguese and São Tomé Portuguese), addressed the behaviour of the /ei/ diphthong in the urban variety of São Tomé Portuguese.The intention was to ascertain whether, as occurs with morphosyntactic variables, there are also phonetic and phonological convergences between this variety and Brazilian Portuguese (BP), where monophthongisationis conditioned by structural factors, particularly following context. The analysis, conducted using GOLDVARB-X, examined a sample of 736 tokens selected from 17 Informant-Documenter Dialogue (DID-type) interviews drawn from the VAPOR (Varieties of Portuguese) Corpus of Lisbon University‟s Linguistics Centre. The informants were L1 Portuguese speakers distributed by sex, three age groups and three levels of schooling, and also by the variable frequency of use of Forro creole, the second most spoken language in the area, which is strongly multilinguistic. Separately, the study addressed the /ei/ diphthong in a word-medial context (417 tokens), as in azeite (olive oil), deitar (lie down), feitor (foreman), and in a word-final context (319 tokens), in verb forms, such as comecei (I started), fiquei (I stayed) and estudei (I studied), bearing in mind extralinguistic variables, as well as five structural variables, specified on the basis of studies in relation to Brazilian Portuguese (BP). The results demonstrate that monophthongisation, which appears in 70.1% of the tokens overall (516/736), obeys different motivations, depending on the position of the diphthong in the word. In the medial context, it is conditioned by the variables schooling (individuals with less time at school) and following context, where the segments [ʃ ʒ ɾ]) figure prominently, as in BP. In the final context, frequency of use of Forro creole was the most influential variable, suggesting that individuals who use this language with significant regularity are the ones who most implement the process, which may be caused by specific features of their phonological system.

Keywords: /ei/ diphthong; monophthongisation; São Tomé Portuguese; Variationist Sociolinguistics

Coordenação

Coordenador: Prof. Dr. Adauri Bastos

Vice-coordenadora: Profa. Dra. Maria Eugenia Lammoglia 

Secretário: Renato Martins e Silva
posvernaculas@letras.ufrj.br

Atendimento

Além de atender por e-mail, a Secretaria do PPGLEV oferece atendimento telefônico e presencial de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h, na sala F-319.

Endereço

Programa de Pós-Graduação em Letras  (Letras Vernáculas)
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F-319
Cidade Universitária — CEP 21941-917
Rio de Janeiro — RJ