Discente: Lucca de Resende Nogueira Tartaglia

Título da tese: Por "um verbo de sangue para o silêncio arder": as etapas do fazer poético na obra de Daniel Faria

Orientador(a): Sofia Maria de Sousa Silva

Coorientador(a): Helena Franco Martins

Ano da defesa: 2020

Páginas: 156

Resumo:

Partindo da leitura dos poemas publicados em Poesia (2012) e dos diálogos (intratextuais e intertextuais) por eles suscitados, a presente tese tem, por objetivo geral, a proposta de analisar o fazer poético de Daniel Faria, através da voz, dos recursos e mecanismos ensejados pelos versos, e, de maneira específica: 1) destacar as características principais da persona poética fariniana, ou seja, de uma voz abrangente, um sujeito lírico-discursivo que, composto no e a partir do texto, povoa e repercute por todos os escritos do autor, salientando, também, como a conferência de 1998 alinhava uma espécie de arte poética, favorecendo a compreensão dos estados, estágios, processos e procedimentos que envolvem a escrita; 2) analisar, no decorrer da obra, a importância do “mecanismo secreto do amor”, ou seja, das diferentes dimensões do sentimento amoroso – que compõem os estados “de locomoção” –, como parte axial do fazer poético de Faria, agindo como força motriz, como impulso garantidor do movimento e, por conseguinte, da transmutação do verbo silente; 3) verificar os estágios de composição que os poemas tracejam, investigando, na escrita do poeta, hereditariedades e aproximações importantes com outros nomes da poesia portuguesa e ocidental. Para melhor embasarmos os nossos apontamentos, para além da teoria-base de Löwy e Sayre acerca de uma “visão de mundo romântica”, recorreremos a pensadores e poetas que, direta ou indiretamente, fazem presença durante a leitura dos poemas, como São João da Cruz (2002), Rilke (2013), Octavio Paz (1994), Herberto Helder (1987), Georges Bataille (1987), Heidegger (2008), Agamben (2013), Blanchot (2011), Sophia de Mello Breyner Andresen (2018), Ruy Belo (2002), entre outros.

Palavras-chave: Literatura portuguesa, Poesia contemporânea, Daniel Faria, poética, composição.

Abstract:

Starting from the reading of the poems published in Poesia (2012) and the dialogues raised by them, the present thesis has, as a general objective, the proposal to analyze Daniel Faria's poetic making, through the voice, resources and mechanisms provided by the verses, and, in a specific way: 1) to highlight the main characteristics of the Farinian poetic persona, that is, of a comprehensive voice, a lyrical-discursive subject who, composed in and from the text, populates and reverberates through all the author's writings, also emphasizing how the 1998 lecture aligned a kind of “poetic art”, favoring the understanding of the states, stages, processes and procedures that involve writing; 2) to analyze, in the course of the work, the importance of the “secret mechanism of love”, that is, of the different dimensions of loving feeling - which make up the “locomotion” states -, as an axial part of Faria's poetic making, acting as driving force, as an impulse that guarantees movement and, therefore, the transmutation of the silent word; 3) to verify the stages of composition that the poems trace, investigating, in the poet's writing, heredities and important similarities with other names of Portuguese and Western poetry. To better base our notes, in addition to the basic theory of Löwy and Sayre about a “romantic worldview”, we will turn to thinkers and poets who, directly or indirectly, are present during the reading of poems, such as São João da Cruz (2002), Rilke (2013), Octavio Paz (1994), Herberto Helder (1987), Georges Bataille (1987), Heidegger (2008), Agamben (2013), Blanchot (2011), Sophia de Mello Breyner Andresen (2018 ), Ruy Belo (2002), among others.

Keywords: Ana Martins Marques, Penélope, love, home, memory, metapoetry.

Coordenação

Coordenadora: Profa. Dra. Maria Eugenia Lammoglia

Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Eliete Figueira Batista da Silveira 

Secretário: Renato Martins e Silva
posvernaculas@letras.ufrj.br

Atendimento

Além de atender por e-mail, a Secretaria do PPGLEV oferece atendimento telefônico e presencial de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h, na sala F-319.

Endereço

Programa de Pós-Graduação em Letras  (Letras Vernáculas)
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F-319
Cidade Universitária — CEP 21941-917
Rio de Janeiro — RJ