Discente: Beatriz de Jesus Santos Lanziero

Título da tese: Agora sou eu que falo, eu, o leitor: uma poética da leitura em Pepetela

Orientador(a): Carmen Lucia Tindó Ribeiro Secco

Ano da defesa: 2020

Páginas: 324

Resumo:

Todo texto só se tece e se materializa na atualização conferida por quem lê. O texto prefigura seu leitor. A tessitura ganha corpo, em jogo que implica controle do texto e criação do leitor. Imaginação somada à consciência interpretativa, em acepção lógica e afetiva. A ficção narrativa do escritor angolano Pepetela constitui objeto de estudo desta tese. Em proposta de articulação dialética, essa obra incita o leitor a compor a sua fala. No rastro do leitor, são investigadas as estratégias construídas para a configuração de uma poética da leitura. A tese reflete conjuntamente sobre a consciência da produção materializada na obra, seu projeto de inserção do leitor e o papel deste último em implicitude. Ademais, tangencia, no âmbito do diálogo texto e leitor, o projeto de compartilhamento de memórias e formação de repertório instaurado pela escrita romanesca. Integram o corpus romances cujas estratégias de composição investem em arquitetura de poética da leitura: As aventuras de Ngunga (1981); Mayombe (1980); O cão e os caluandas (2006); Lueji, o nascimento de um império (2015); Se o passado não tivesse asas (2016). Seguindo lição exemplarmente apresentada pelas obras estudadas, são convocados variados parceiros de percurso reflexivo e analítico. O estudo dialoga, sobretudo, com a teoria do efeito estético e a antropologia literária de Iser e as problematizações concernentes à dialogia e à polifonia, de Bakhtin.

Palavras-chave: Ficção angolana; Pepetela; leitura e leitor; dialogismo e polifonia.

Abstract:

Every text is only woven and materialized with the update given by the reader. The text prefigures its reader. The text builds itself, in a game that implies control of the text and the reader's creation. Imagination and interpretive consciousness, in a logical and affective sense. The fictional narrative of the Angolan writer Pepetela is the object of study in this thesis. In a proposal of dialectical articulation, this work encourages the reader to compose his speech. In the reader‘s trail, the strategies built for the configuration of the poetics of reading are investigated. The thesis reflects jointly on the consciousness of the production materialized in the work, its insertion project of the reader and the ―implied reader‖ role. Besides, it touches, in the context of the dialogue text and reader, the project of memory sharing and repertoire shaping established by the novel's writing. Our corpus is formed by novels whose compositional strategies invest the architecture of a poetics reading are: As aventuras de Ngunga (1981); Mayombe (1980); O cão e os caluandas (2006); Lueji, o nascimento de um império (2015); Se o passado não tivesse asas (2016). Following the exemplary lesson presented by the studied works, several partners of reflective and analytical path are called. The study dialogues, above all, with the aesthetic effect theory and the literary anthropology of Iser and the problematizations concerning Bakhtin‘s dialogic and polyphony.

Keywords: Angolan fiction; Pepetela; reading and reader; dialogism and polyphony.

Coordenação

Coordenadora: Profa. Dra. Maria Eugenia Lammoglia

Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Eliete Figueira Batista da Silveira 

Secretário: Renato Martins e Silva
posvernaculas@letras.ufrj.br

Atendimento

Além de atender por e-mail, a Secretaria do PPGLEV oferece atendimento telefônico e presencial de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h, na sala F-319.

Endereço

Programa de Pós-Graduação em Letras  (Letras Vernáculas)
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F-319
Cidade Universitária — CEP 21941-917
Rio de Janeiro — RJ