Discente: Renata de Oliveira Batista Rodrigues

Título da tese: O sopro literário de Allan da Rosa – as ventaneiras distribuindo o sensível

Orientador: Adauri Silva Bastos

Ano da defesa: 2019

Páginas: 192

Resumo:

A presente tese é fruto de reflexões sobre a tomada de posto narrativo por sujeitos que dispõem de poucas oportunidades, tanto de contar histórias quanto de ser história, ser poesia. As inspirações para este estudo surgem nas leituras das produções literárias de Allan da Rosa, com um fazer literário que resgata memórias e invoca a ancestralidade como forma de (re)existência. Seus escritos também criam visibilidade para sujeitos marginalizados, permitindo experimentar suas histórias e delirar com seus versos. A narrativas e a poética do autor são ancestrais, com diversas possibilidades que nos permitem adentrar seu íntimo e ressignificar vidas, de acordo com nossos repertórios, alimentando memórias. Essas memórias evocam a representação. Assim, temos o problema: o quanto as “escritas do eu”, as escrevivências, influenciam os processos de reconhecença e efeitos de realidade nos escritos de Allan da Rosa? Para abordar a experiência literária de Allan da Rosa e, consequentemente, pensar em hipóteses para o que foi problematizado, sobrevoamos, aterrissamos, mergulhamos e experimentamos sua obra. Iniciamos os estudos com reflexões sobre a literatura periférica no contexto da literatura brasileira contemporânea e,em seguida, exploramos os estudos sobre as “escritas do eu”, além das reflexões a respeito de questões identitárias, representação e territorialidade. Considerações sobre o negro na literatura brasileira e a literatura negro-brasileira, efeito do real e partilha do sensível encerram a base conceitual desta pesquisa. Assim, a experiência literária de Allan da Rosa evidencia o protagonismo conquistado, não dado, por pessoas antes silenciadas também no sistema literário brasileiro. Com base nas considerações tecidas, buscou-se contribuir para as análises literárias em produções que costumam apenas receber um olhar antropológico.

Palavras-chave: literatura; marginalidade; afrodescendência negra; efeito do real; periferia.

Abstract:

This thesis is the result of reflections on the taking of a narrative post by subjects who have few opportunities, both to tell stories and to be history, to be poetry. The inspirations for this study have appeared in the readings of Allan da Rosa’s literary productions, whose literary work rescues memories and invokes ancestry as a form of (re)existence. His writings also create visibility for marginalized subjects, allowing them to experience their stories and delirious with their verses. His narratives and his poetics are ancestors, with their various possibilities, allowing us to enter into their intimacy and re-signify lives according to our repertoires, feeding memories. These memories evoke representation. Thus, we have as a problem: how much do the “writings of the self” influence the processes of recognition and effects of reality in the writings of Allan da Rosa? In order to approach Allan da Rosa’s literary experience, we fly over, land, dive and experience his work. We begin the studies with reflections on the peripheral literature in the context of contemporary Brazilian literature. Next, the path taken to think Allan da Rosa’s works includes studies on the “writings of the self”, reflections on identity, representation and territoriality issues. Considerations on the black in the Brazilian literature and the black-Brazilian literature, the effect of the real and the sharing of the sensible contain the conceptual basis of this research. The literary experience of Allan da Rosa shows the protagonism conquered, not given, by people previously silenced also in the Brazilian literary system. Based on these considerations, we try to contribute to the literary analyzes in productions that usually only receive an anthropological look.

Keywords: literature; marginality; black afrodescendence; effect of real; periphery.

Coordenação

Coordenadora: Profa. Dra. Maria Eugenia Lammoglia

Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Eliete Figueira Batista da Silveira 

Secretário: Renato Martins e Silva
posvernaculas@letras.ufrj.br

Atendimento

Além de atender por e-mail, a Secretaria do PPGLEV oferece atendimento telefônico e presencial de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h, na sala F-319.

Endereço

Programa de Pós-Graduação em Letras  (Letras Vernáculas)
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F-319
Cidade Universitária — CEP 21941-917
Rio de Janeiro — RJ