Discente: Bruna Fernanda Ferreira Candido

Título da tese: Sufixos diminutivos do português: da redução de tamanho aos recursos de expressividade

Orientador(a): Carlos Alexandre V. Gonçalves

Ano da defesa: 2019

Páginas: 136

Resumo:

O objetivo do presente trabalho é analisar as formações diminutivas do português brasileiro, doravante PB, para conferir se realmente se caracterizam, por extensão de significado, como expressão do diminutivo. Sendo assim, será observado o comportamento de formações, tais como: X-ote, X-eco, X-ito, X-eto, X-ete (de vogal inicial fechada [‘e.tʃI] e aberta [‘ƐtʃI]), a fim de conferir se realmente mantêm a ideia de diminuição de dimensão ou se passaram por processo de extensão semântica, assim como ocorreu com X-inho que, por sua vez, é de longe o sufixo mais produtivo. Para tanto, trataremos do assunto, utilizando como aporte teórico os estudos sobre polissemia, na Linguística Cognitiva, sobretudo os estudos realizados por Soares da Silva (2006) que, por sua vez, oferece um tratamento bastante rico e adequado ao sufixo -inho, analisando as suas extensões de significado e a sua rede polissêmica. Os dados analisados foram coletados a partir das seguintes fontes: (a) conversas espontâneas de falantes do PB, nas mais variadas situações de uso (entre os meses de março e agosto de 2017); (b) busca nos dicionários eletrônicos Aurélio (2008) e Houaiss 3.0 (2009) de língua portuguesa; e (c) rastreamento eletrônico pela ferramenta de busca Google, que nos redireciona a diversos tipos de páginas da internet, configurando-se como uma ferramenta muito vantajosa, pelo fato de fornecer dados de fontes variadas, como sites de jornais e revistas (linguagem mais formal) e blogs, chats e postagens em redes sociais, como o Facebook e o twitter(menos formal).

Palavras-chave: Morfologia, Sufixação, Diminutivo.

Abstract:

The purpose of the present work is to analyze the diminutive formations in Brazilian Portuguese, in order to verify if they are characterized as diminutive even in the process of extension of meaning. Thus, it will be observed the diminutive formations as in X-ote, X-echo, X-ito, X-eto, X-ete, in order to check if they maintain the idea of size reduction or if they have undergone a process of semantic extension, as it occurred with X-inho, which is the most productive diminutive suffix. To do so, we will address the issue with the theoretical contributions about polysemy within the field of Cognitive Linguistics, mostly the studies of Soares da Silva (2006) about the -inho suffix, which exams the extensions of meaning and polysemic network in this suffix. The analyzed data were collected from: (a) spontaneous chatting of Brazilian Portuguese speakers in the most varied occasions (between the months of March and August 2017); (b) searches in electronic dictionaries such as Aurélio (2008) and Houaiss 3.0 (2009); and (c) electronic tracking on the Google search tool, which redirects to various internet pages, and providing data from various sources such as newspapers and magazines (more formal language) and blogs, chats, and social networking posts such as on Facebook and Twitter (less formal).

Keywords: Morphology; Suffixation; Diminutive.

Coordenação

Coordenadora: Profa. Dra. Maria Eugenia Lammoglia

Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Eliete Figueira Batista da Silveira 

Secretário: Renato Martins e Silva
posvernaculas@letras.ufrj.br

Atendimento

Além de atender por e-mail, a Secretaria do PPGLEV oferece atendimento telefônico e presencial de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h, na sala F-319.

Endereço

Programa de Pós-Graduação em Letras  (Letras Vernáculas)
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F-319
Cidade Universitária — CEP 21941-917
Rio de Janeiro — RJ