Discente: Rodrigo Lopes da Fonte Ferreira

Título da tese: A última volta do parafuso - Lygia Fagundes Telles entre a ficção e a memória

Orientador(a): Anélia Montechiari Pietrani

Ano da defesa: 2019

Páginas: 201

Resumo:

O presente estudo tem o objetivo de analisar a maneira como Lygia Fagundes Telles imprime elementos de sua bagagem existencial na primeira pessoa do discurso dos livros A disciplina do amor, Invenção e memória, Durante aquele estranho chá e Conspiração de nuvens, que se singularizam por amalgamar as figuras da autora, da narradora e da personagem em um só sujeito que traz a lume os instantes da infância, da juventude e da maturidade, bem como o uso de linguagens que sugerem a escrita de um diário, a produção de uma crônica e a apresentação de relatos acerca de figuras públicas com quem a autora conviveu. Partindo dessa observação, empreendo uma sondagem nas diversas camadas do “eu” lygiano circunscrito às esferas da ficção e da memória. E, em diálogo com as perspectivas de Silviano Santiago, Fábio Lucas, José Paulo Paes, Sônia Régis, entre outros, procuro lançar luz na experiência artística – ou no drama da criação – de Lygia Fagundes Telles, na expectativa de comprovar que na elaboração do repertório dramático de suas narrativas não há o apagamento dos rastros autorais, uma vez que a memória, enquanto uma das manifestações da passagem do tempo – que tudo torna oblíquo – é trabalhada em termos técnicos, artísticos e pessoais.

Palavras-chave: ficção, memória, narrador, personagem.

Abstract:

This study aims to analyze the way that Lygia Fagundes Telles prints your existential baggage elements in first person of the speech of the books A disciplina do amor, Invenção e memória, Durante aquele estranho chá and Conspiração de nuvens, distinguished from others Lygias’s books by the amalmgam of the figures of author, narrator and character in a single subject which brings to light the moments of childhood, youth and maturity, involved as well as the use of languages that suggest writing a diary, the production of a Chronicle and the presentation of reports about public figures with whom the writer lived. From this observation, I undertake a survey in several layers of "I" lygiano limited to the spheres of fiction and memory. And, in dialogue with the prospects of Silviano Santiago, Fábio Lucas, José Paulo Paes, Sonia Régis, among others, I try to shed light on artistic experience – or in the drama of creation – of Lygia Fagundes Telles, hoping to prove that in drawing up the dramatic repertoire of their narratives there isn’t the author’s tracks erasure, since the memory, while one of the manifestations of the passage of time – that all makes oblique – is crafted in technical terms, personal and artistic.

Keywords: fiction, memory, narrator, character.

Coordenação

Coordenadora: Profa. Dra. Maria Eugenia Lammoglia

Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Eliete Figueira Batista da Silveira 

Secretário: Renato Martins e Silva
posvernaculas@letras.ufrj.br

Atendimento

Além de atender por e-mail, a Secretaria do PPGLEV oferece atendimento telefônico e presencial de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h, na sala F-319.

Endereço

Programa de Pós-Graduação em Letras  (Letras Vernáculas)
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F-319
Cidade Universitária — CEP 21941-917
Rio de Janeiro — RJ