Discente: Bruna Gois Pavão Ferreira

Título da tese: Construção predicativa de mudança de estado e de propriedade com os verbos ficar, tornar-se e virar

Orientador(a): Bruna Gois Pavão Ferreira

Ano da defesa: 2019

Páginas: 144

Resumo:

Com base nos pressupostos teórico-metodológicos da Linguística FuncionalCognitiva, que engloba as abordagens funcionalista e cognitivista, e, especialmente, da Gramática de Construções (GOLDBERG, 1995, 2006; TRAUGOTT & TROUSDALE, 2013), que se centram na experiência do uso, esta pesquisa focaliza a construção predicativa de mudança (de estado e de propriedade) e a variação/alternância (HILPERT, 2014; MACHADO VIEIRA, 2016, 2017) entre os verbos ficar, tornar-se e virar nesse tipo de construção no Português Brasileiro, a fim de descrever diferenças e similaridades existentes, a depender do verbo selecionado para preencher o slot destinado a verbo relacional na construção. Pretende-se identificar: (i) os padrões de uso com base na frequência, no espraiamento/na extensibilidade e nas relações de forma e/ou função/significado por semelhanças de família existentes entre construtos de padrões construcionais licenciados por tal construção; (ii) a configuração morfossintática da construção predicativa de mudança (de estado e de propriedade) e seu potencial de licenciamento construcional no Português; (iii) suas instâncias de uso; (iv) as diferenças semânticopragmáticas entre as construções com ficar, tornar-se e virar, buscando-se analisar como se dá a variação/alternância entre tais verbos nesse tipo de construção. Para tanto, os dados coletados em artigos acadêmicos, jornais, revistas, sites de avaliação e reclamação, elocuções formais e entrevistas orais foram analisados de acordo com alguns parâmetros, como o tipo de mudança (de estado ou de propriedade),o tipo de animacidade do participante sujeito, o tipo de sintagma predicativo, o aspecto mais permanente/mais transitório da construção e o grau de formalidade associado à situação discursiva em que seus construtos operam, tendo como base a ideia de lidar com as propriedades fundamentais de uma construção gramatical (esquematicidade, produtividade e composicionalidade, TRAUGOTT & TROUSDALE, 2013) e contextualidade (GOLDBERG, 2016). A partir dessa análise, é possível identificar que a construção predicativa de mudança licencia padrões construcionais diferentes que, em decorrência do alinhamento funcional (semântico, discursivo, pragmático, cognitivo e/ou social), estão reunidos e estocados na mente dos usuários como variantes construcionais. Assim, cada pareamento forma-sentido gerado pela compatibilização dos verbos ficar, tornar-se e virar é minimamente distinto, havendo umas instâncias de uso dessa construção mais centrais e outras mais periféricas. Os resultados não só consolidam a hipótese de que os padrões construcionais licenciados pela construção formada pelos três verbos em estudo apresentam similaridades e diferenças, como também permitem destacar as nuances de sentido e particularidades discursivo-pragmáticas decorrentes da influência do verbo relacional sobre a construção na qual se insere e as decorrentes de padrões de instanciação que se rotinizaram como “allostructions” (CAPPELLE, 2006); e, assim, integram a gramática construcional do Português Brasileiro (conforme defende MACHADO VIEIRA, 2016).

Abstract:

Based on theoretical-methodological assumptions of Cognitive-Functional Linguistics, which encompasses the functionalist and cognitive approaches, and especially the Construction Grammar (GOLDBERG, 1995,D 2006; TRAUGOTT & TROUSDALE, 2013), that focus on the experience of using, this research focuses on the predicative construction of change (of state and property) and the variation/alternation (HILPERT, 2014; MACHADO VIEIRA, 2016, 2017) between the verbs ficar, tornar-se and virar in this type of construction in Brazilian Portuguese, in order to describe existing differences and similarities, depending on the verb selected to fill the slot intended for relational verb in the construction. It is intended to identify: (i) patterns of use based on frequency, spreading/extensibility, and relationships of form and/or function/meaning by family resemblances between constructs of constructional standards licensed by such construction; (ii) the morphosyntactic configuration of the change predicative construction (of state and property); (iii) its instances of use; (iv) the semanticpragmatic differences between the constructions with ficar, tornar-se and virar, seeking to analyze how the variation/alternation between such verbs in this type of construction occurs. To do so, the data collected in academic articles, newspapers, magazines, evaluation and complaint sites, formal utterances and oral interviews were analyzed according to some parameters, such as the type of change (of state and property), thetype of animacity of the subject participant, the type of predicative phrase, the more permanent/transitional aspect of the construction and the degree of formality associated with the discursive situation in which its constructs operate, based on the idea of dealing with the fundamental properties of a grammatical construction (schematicity, productivity and compositionality, TRAUGOTT & TROUSDALE, 2013) and contextuality (GOLDBERG, 2016). From this analysis, it is possible to identify that the predicative construction of change permits different constructional patterns that, due to functional alignment (semantic, discursive, pragmatic, cognitive and/or social), are gathered and stored in the users' minds as constructional variants. Thus, each form-sense pairing generated by the compatibilization of the verbs ficar, tornar-se and virar is minimally distinct, with instances of use of this construction being more central and others more peripheral. The results not only consolidate the hypothesis that the constructional patterns licensed by the construction formed by the three verbs in study present similarities and differences, but also allow to highlight nuances of meaning and discursive-pragmatic peculiarities deriving from the influence of the relational verb on the construction in which is inserted and those derived from instantiation patterns that have been routinized as "allostructions" (CAPPELLE, 2006); and thus integrate the constructional grammar of Brazilian Portuguese (according MACHADO VIEIRA, 2016).

Coordenação

Coordenadora: Profa. Dra. Maria Eugenia Lammoglia

Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Eliete Figueira Batista da Silveira 

Secretário: Renato Martins e Silva
posvernaculas@letras.ufrj.br

Atendimento

Além de atender por e-mail, a Secretaria do PPGLEV oferece atendimento telefônico e presencial de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h, na sala F-319.

Endereço

Programa de Pós-Graduação em Letras  (Letras Vernáculas)
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F-319
Cidade Universitária — CEP 21941-917
Rio de Janeiro — RJ