Discente: Heloise Vasconcellos Gomes Thompson

Título da tese: Construções comparativas asssimilativas com TIPO e IGUAL: uma abordagem baseada no uso

Orientador(a): Violeta Virginia Rodrigues Coorientador: Diogo Oliveira Ramires Pinheiro

Ano da defesa: 2019

Páginas: 157

Resumo:

A comparação é um processo cognitivo de domínio geral que pode se materializar linguisticamente de diversas formas. De maneira geral, a concretização linguística desse processo é apresentada no âmbito morfológico, no tocante aos graus do adjetivo, e no âmbito sintático, no que se refere às orações subordinadas adverbiais comparativas. Diante desse cenário, o presente estudo busca evidenciar outras possibilidades para a manifestação da comparação no nível sintático. Para isso, dedicamo-nos a identificar, descrever e analisar o(s) uso(s) da construção comparativa assimilativa (CCA) instanciada pelos conectores tipo e igual no Português do Brasil. Nossa investigação mostra que as construções comparativas assimilativas formam uma família de construções, as quais se conectam em uma rede de relações categorizantes (cf. LANGACKER, 1991). Partimos da hipótese de que, em um nível mais alto da rede, essas construções evocam um mesmo padrão abstrato — X conector comparativo assimilativo Y. Além disso, evidenciamos que apesar de as CCA instanciadas por tipo e igual constituírem nódulos dessa rede, apresentam especificidades semânticas que restringem seus usos. O aporte teórico central desta investigação baseia-se nos preceitos da Gramática de Construções Baseada no Uso (GOLDBERG, 1995, 2006; CROFT, 2013; DIESSEL, 2015), modelo teórico que tem como premissa básica a ideia de que a experiência de uso da língua afeta suas representações cognitivas. Para fins de descrição semântica, recorremos, também, à Semântica de Frames (FILLMORE, 1982). Como fonte para nossa coleta de dados de usos linguísticos reais, utilizamos três diferentes corpora: o Corpus do Brasil, o Corpus Brasileiro e o Corpus do Português. Ainda que os dados coletados sejam numerosos, esta pesquisa tem caráter qualiquantitativo, priorizando a descrição das estruturas em foco. Nossa análise evidenciou que as CCA instanciadas pelos conetores tipo e igual verdadeiramente fazem parte de uma mesma família de construções; no entanto, não constituem caso de sinonímia. Além disso, manifestam-se majoritariamente no nível sintagmático e sentencial, contrariando a descrição dos estudos tradicionais em geral.

Abstract:

Comparison is a domain-general process which can be linguistically materialized in different ways. In general, linguistic descriptions admit its occurrence on the morphological level, in regard to adjective degrees, and on the syntactic level, when considering adverbial clauses. In this context, this study aims at presenting other possibilities for the manifestation of comparison on the syntactic level. In order to accomplish this, we attempt to identify, describe and analyze the use(s) of comparative constructions materialized with tipo and igual, words which function as connectors in Brazilian Portuguese. This investigation shows that comparative constructions form a family, whose members are connected through a network of categorizing relations (LANGACKER, 1991). We base our work on the hypothesis that, on a higher level, all comparative constructions evoke the same abstract pattern — X comparative connector Y — in the network. Moreover, this research presents evidence that, despite the fact that comparative constructions materialized with tipo and igual are connected inside the comparison network, they present semantic restrictions of use. The theoretical approach applied on this study finds support on the Usage-Based Construction Grammar (GOLDBERG, 1995, 2006; CROFT, 2013; DIESSEL, 2015), which defends the ideia that language use experience affects cognitive representations. To describe the semantic meanings of comparative constructions, we also appealed to Frame Semantics (FILLMORE, 1982). As data source, we made use of three linguistic corpora: Corpus do Brasil, Corpus Brasileiro and Corpus do Português. Even though we have found a huge number of occurrences to be analyzed, this research has qualitative character, since we prioritize the description of structures over the data quantitity. Our analysis showed that comparative constructions materialized with tipo and igual truly are members of the same construction family; however, they are not synonyms. Besides, such constructions occur, majorly, on syntagmatic and sentential levels, which contradicts what traditional gramatical studies usually support.

Coordenação

Coordenadora: Profa. Dra. Maria Eugenia Lammoglia

Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Eliete Figueira Batista da Silveira 

Secretário: Renato Martins e Silva
posvernaculas@letras.ufrj.br

Atendimento

Além de atender por e-mail, a Secretaria do PPGLEV oferece atendimento telefônico e presencial de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h, na sala F-319.

Endereço

Programa de Pós-Graduação em Letras  (Letras Vernáculas)
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F-319
Cidade Universitária — CEP 21941-917
Rio de Janeiro — RJ