Discente: Thiago Laurentino de Oliveira

Título da tese: O Processamento dos clíticos com referência ao interlocutor no Português Brasileiro

Orientador(a): Célia Regina do Santos Lopes

Co-orientador(a): Eduardo Kenedy

Ano da defesa: 2018

Páginas: 258

Resumo:

Neste estudo, analisamos as formas pronominais clíticas que atuam ou podem atuar na referência à 2a pessoa do singular (2SG) em posição de complemento. Como objetivo principal, desejamos observar como os falantes do Português Brasileiro (PB) percebem os itens te, lhe e o/a. Estudos diacrônicos e sincrônicos, a partir da análise de corpora, revelam que, mesmo após a inserção da forma você no sistema pronominal do PB, o clítico te (vinculado ao paradigma do pronome tu) se mantém como uma estratégia frequente. Sendo assim, investigamos, através de uma abordagem experimental, o processamento dos clíticos de 2SG dentro de certos contextos linguísticos. Para tanto, construímos três experimentos que fossem capazes de focalizar diferentes aspectos relativos ao processamento da informação de 2SG. Assumimos como hipótese central que a alta frequência de uso do clítico te ao longo do tempo desencadeou um processo de gramaticalização desse item no PB. Especificamente, a forma te teria se convertido em um afixo flexional marcador da informação de 2SG. A afixação de te explicaria, em termos cognitivos, a alta eficácia desse item para acessar a informação de 2SG a partir de um baixo custo de processamento. Ancoramos essa explicação nos postulados teóricos que discutem os processos de gramaticalização por um viés funcional (HOPPER, 1991; HOPPER; TRAUGOTT, 2003; HEINE; KUTEVA, 2007; BYBEE, 2016[2010]). Os dados obtidos através dos testes vão ao encontro da hipótese mencionada e mostram que a abordagem experimental constitui um método profícuo para a análise da representação da 2SG, fornecendo uma compreensão mais completa do tema ao possibilitar uma correlação entre dados de uso e dados de percepção.

Abstract:

In this study, I analyze the clitic pronominal forms that act or can act in the reference to the second person singular (2SG) in the complement position. As main objective, I wish to observe how the speakers of Brazilian Portuguese (BP) perceive the items te, lhe and o/a. From the analysis of corpora, diachronic and synchronic studies show that even after the insertion of the você form in the pronominal system of BP, the te clitic (linked to the tu pronoun paradigm) remains as a productive strategy. Thus, I investigate, through an experimental approach, how the speakers process the clitics of 2SG within certain linguistic contexts. To do so, I constructed three experiments that were able to focus on several aspects related to the processing of 2SG information. I assume as central hypothesis that high frequency of use of te-clitic over time triggered a process of grammaticalization of this item in BP. Specifically, te-clitic would have become an inflectional affix, which marks 2SG information. This process would explain, in cognitive terms, the high efficiency of te to access the information of 2SG from a low processing cost. I anchor this explanation in the theoretical postulates that discuss the processes of grammaticalization by a functional view (HOPPER, 1991; HOPPER; TRAUGOTT, 2003; HEINE; KUTEVA, 2007; BYBEE, 2016[2010]). The data obtained through the tests meet the mentioned hypotheses and show that experimental approach constitutes a useful method for the analysis of the representation of the 2SG, providing a more complete understanding of the subject by allowing a correlation between use data and perception data.

Coordenação

Coordenador: Prof. Dr. Adauri Bastos

Vice-coordenadora: Prof. Dra. Maria Eugenia Lammoglia 

Secretária: Maria Goretti Mello
posvernaculas@letras.ufrj.br

Atendimento

Além de atender por e-mail, a Secretaria do PPGLEV oferece atendimento telefônico e presencial de segunda a quinta-feira, das 12h às 16h, na sala F-319.

Endereço

Programa de Pós-Graduação em Letras  (Letras Vernáculas)
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F-319
Cidade Universitária — CEP 21941-917
Rio de Janeiro — RJ