Discente: Claudia Barbosa de Medeiros

Título da tese: O vão-lugar: rumos do feminino em romances de Mia Couto

Orientador(a): Carmen Lucia Tindó Ribeiro Secco

Ano da defesa: 2018

Páginas: 145

Resumo:

As narrativas de Mia Couto encenam mulheres em rota de colisão com o tempo atual, mulheres desvinculadas do espaço social, figuradas em algumas representações como seres deslocados, que vivem a experiência do não-lugar na cena social ou, então, de um lugar problemático: há, portanto, uma condição existencial que se impõe de maneira transversal nas obras aqui estudadas, configurando um ponto convergente no qual a condição feminina é problematizada em suas nuances. Embora sejam narrativas fortemente marcadas pelo trânsito das personagens pelos espaços, as mulheres do corpus parecem estar destinadas a lugares secundários ou marginais de pertencimento, condição que contempla os interesses do poder masculino recorrente nos romances. Esta tese pretende provar que os seres femininos miacoutianos promovem intervenções cênicas transgressoras no recorte romanesco, com as quais funda o vão-lugar, um local de potencialização das relações femininas autônomas. Forjado nas tênues aberturas das paisagens ficcionais, o vão-lugar rasura os estreitamentos impostos ao feminino e ventila identidades assentes em locais de ruptura, espécies de fendas de estar, que reinserem o feminino no meio social em que vive. Tendo como pontos de análise os lugares de (des)ocupação das personagens femininas em suas experiências sociais, procederemos um desdobramento do dueto metafórico da “raiz” e do “rizoma”, proposto por Edouard Glissant para compreensão das relações culturais na pós-colonialidade, a fim de, com tais conceitos, pôr em contraste as enunciações literárias que conotam os lugares investigados: de um lado, locais de interdição, permissão ou exílio, compreendendo-os como lugares-raiz que restringem e/ou ocultam o ser feminino; de outro, a elaboração criativa de uma região dissonante de povoamento do feminino, em rumos rizomáticos, onde é possível vê-lo em relação, capturando suas múltiplas faces.

Palavras-chave: Mia Couto, feminino, ficção, poder

Abstract:

Mia Couto's narratives stage women in a collision course with the present time, women detached from the social space, figured in some representations as displaced beings, who live the experience of the non-place in the social scene or, therefore, from a problematic place: there is, however, an existential condition that is imposed transversally to the works studied here, forming a convergent point in which the feminine condition is problematized in its nuances. Although they are narratives strongly marked by the transit of the characters through the spaces, the women of the corpus seem to be destined to belong to secondary or marginal places, a condition that contemplates the interests of recurrent masculine power in the novels. This thesis intends to prove that the feminine miacoutian being promotes transgressive scenic interventions in the romantic clipping, with which it founds the gap-place, a place of empowerment of the autonomous feminine relations. Forged in the tenuous openings of fictional landscapes, the gap-place scratches out the narrowings imposed on the feminine and ventilates identities based on ruptured places, species of slits of being that reinsert the feminine in the social environment in which it lives. Having as points of analysis the places of (dis)occupation of the female characters in their social experiences, we will proceed with an unfolding of the metaphorical duet of the "root" and the "rhizome" proposed by Edouard Glissant for understanding the cultural relations in the postcolonial time in order to, with such concepts, contrast the literary statements that connote the places investigated: on one hand, places of interdiction, permission or exile, understanding them as root places that restrict and / or conceal the female being; on the other hand, the creative elaboration of a dissonant region of feminine settlement, in rhizomatic paths, where it is possible to see it in relation, capturing its multiple faces.

Key-words: Mia Couto, female, fiction, power.

Coordenação

Coordenador: Prof. Dr. Adauri Bastos

Vice-coordenadora: Profa. Dra. Maria Eugenia Lammoglia 

Secretário: Renato Martins e Silva
posvernaculas@letras.ufrj.br

Atendimento

Além de atender por e-mail, a Secretaria do PPGLEV oferece atendimento telefônico e presencial de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h, na sala F-319.

Endereço

Programa de Pós-Graduação em Letras  (Letras Vernáculas)
Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Sala F-319
Cidade Universitária — CEP 21941-917
Rio de Janeiro — RJ